quarta-feira, 21 de junho de 2017

Estudo Detecta Violações de Liberdade de Imprensa nas Zonas de Conflito Armado

Um estudo publicado, na cidade de Chimoio, na província de Manica, revela a existência de graves violações de liberdade de imprensa nas rádios comunitárias localizadas nas zonas de conflito armado.

De acordo com o estudo, realizado pelo MISA Moçambique em parceria com a Fundação MASC, o conflito armado “eliminou o espaço de actuação das rádios comunitárias, através de acções de silenciamento, ameaças, intimidação, censura contra os fazedores das rádios comunitárias”.

O estudo foi realizado entre Março e Abril do ano em curso, nas províncias de Manica, Tete e Zambézia.

Entre 2014 e 2016, período estudado, acrescenta o documento, o Estado e a Sociedade Civil, que defendem os direitos humanos e a liberdade de imprensa, não foram capazes de intervir atempadamente e de forma eficaz para proteger os jornalistas e as rádios.

O estudo indica que as rádios abrangidas pelo estudo denunciaram a existência de “Ordens Superiores” para se remeterem ao silêncio, passando a absterem-se de cobrir assuntos ligados ao conflito armado, mas apenas passar programas educativos, musicais, entre outros.

O MISA constatou, no mesmo estudo, que os jornalistas das rádios comunitárias não gozaram e continuam a não gozar de nenhuma protecção, durante o exercício das suas actividades, nas regiões de conflito armado.

De acordo com o documento, as rádios comunitárias apresentam várias dificuldades que, em última instância, afecta o seu trabalho. As dificuldades vão desde a falta de equipamento até às avarias de emissoras, o que se reflecte na redução dos raios de coberturas das respectivas rádios. Baixe AQUI o estudo.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Por Que Os Moçambicanos Repudiam a Compra de Mercedes para Deputados?

Foto: Google
O governo de Moçambique adquiriu 18 viaturas de marca Mercedes-Benz avaliadas em 228 milhões de meticais para os membros da Comissão Permanente da Assembleia da República. Não é de hoje os que moçambicanos contestam as elevadas regalias de que os parlamentares têm beneficiado. As reclamações ganharam eco nos últimos dias quando o governo investiu mais de 200 milhões para adquirir viaturas protocolares para os deputados. 
O país atravessa um momento delicado, avaliando a situação de debilidade económica. É também verdade que os preços dos produtos de primeira necessidade tem vindo a registar uma ligeira redução quando comparado com os preços praticados no início do ano quando um dólar norte-americano chegou a atingir os incríveis 70 meticais. O motivo por que o povo repudia a aquisição das viaturas deve-se ao facto de o país ter assistido nos últimos três anos, entre outros problemas, a dívida pública crescer de forma desenfreada. 
A corrupção, por exemplo, insiste em ganhar os mais variados feitios e reluz como uma pedra preciosa, conquistando cada vez mais adeptos. Este mal conquistou grande visibilidade no país e muitos são os que nele se têm envolvido, desde indivíduos, diga-se, anónimos - até figuras sobejamente conhecidas na sociedade e que ocupam inclusive cargos de direcção. É ocaso, por exemplo, do ex-Ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos – Abduremane Lino de Almeida – julgado no último mês (Maio) sob a acusação de desvio de fundos de Estado.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Receitas do LNG Serão Primeiro para As Empresas e Só Depois para o Estado Moçambicano

O Governo moçambicano e os membros do consórcio liderado pela Eni, que detêm a concessão na área 4 da Bacia do Rovuma, acabam de formalizar o arranque do projecto de produção de gás natural liquefeito, num ambiente de celebração e grandes promessas de ganhos significativos para o Estado. Entretanto, estes ganhos podem estar comprometidos pelo facto de o Governo ter concedido garantias de que as receitas sejam usadas primeiro pelas empresas para o pagamento dos financiamentos,  para além da  fraca capacidade do país de fazer a monitoria dos projectos. Veja AQUI o artigo na íntegra

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Um Ano Blogando: Um Ano Aprendendo

Faz já um ano após ter remodelado este blogue e iniciar com a publicação de diferentes conteúdos para brindar os amigos leitores. Para quem não sabe, este blogue foi criado no ano 2012 quando ainda frequentava o terceiro ano do curso de licenciatura em jornalismo. Não sei de onde surgiu a minha grande afeição por blogues. Lembro-me, porém, que o gosto pelos weblogs emergiu do nada, talvez do meu fascínio pela comunicação digital. 
Inicialmente, publicava neste espaço artigos de opinião, todos eles publicados inicialmente no jornal de maior circulação do país – o Jornal Notícias. Aliás, foi no ano 2010, concretamente no mês de Maio – se a memória não me engana que publiquei o meu primeiro e modesto artigo de opinião no matutino notícias. Desde então, muitos foram os rabiscos publicados naquele jornal e que, semelhantemente, foram publicados neste blogue. Não tenho números exactos sobre quantos artigos já escrevi e publiquei, mas estou certo que com esse exercício cresci e aprendi a observar com olhos atentos o mundo no qual estou inserido.
Ano passado (2016), decidi remodelar o blogue que por algum tempo tomou várias designações como: Racionalizando e Comunicologando. Até pouco tempo, o blogue não tinha um objectivo específico, procurava publicar um pouco de tudo sem seguir rigorosamente uma determinada linhagem. Provavelmente, hoje, o blogue continua sem um foco definido. Mas a sua existência tem em vista partilhar diferentes conteúdos que constituem actualidade no país e é, outrossim, um pequeno reflexo de quem é o seu gestor – Mussa Chaleque.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Casamentos Prematuros em Moçambique: Que distritos estão mais Afectados?


Uma em cada dez raparigas moçambicanas está casada aos 15 anos e metade estão casadas aos 19 anos de idade. Este índice elevado de casamentos prematuros em Moçambique tem atraído a atenção de vários seguimentos da sociedade, instituições do Governo, organizações da sociedade civil e parceiros no fortalecimento de acções de advocacia e sensibilização para a prevenção e combate a esta prática. Como forma de contribuir para esses esforços, o CEPSA produziu a partir dos dados do Censo a presente brochura que, mostra a representação cartográfica dos distritos do país onde este fenómeno está mais pronunciado de modo a que esses distritos sejam prioritários nos esforços para a eliminação dos casamentos prematuros em Moçambique. Consulte Online a versão Resumida e Completa AQUI.

Foto da Semana

Desta vez o infractor foi a Viatura do Município de Maputo
Por MCM. Data: 29-05-2017. Fonte: Folha de Maputo

sábado, 20 de maio de 2017

A Conversa com a Periguete

Foto: Google
Vi-te caminhando sobre a areia da praia, em jeito de desfile. Parecias estar numa passarela. Te lançavas a um e outro homem que julgavas ter dinheiro. Até que, te aproximaste do local onde eu me encontrava, debaixo do enorme guarda-sol, para insistires um papo comigo. Para ser sincero, o calor que fazia naquele dia já era suficiente para me incomodar o bastante.
Fui à praia porque não queria puxar conversa com ninguém. Mas, logo me apercebi que estavas com disposição para me incomodar. Decidiste estender a tua capulana e colocar o teu guarda-sol bem ao lado do meu. Mesmo assim, fingi não te notar. Continuei tranquilamente a contemplar os lindos flamingos sobrevoando o mar, os rochedos e o céu azul.
Dado a forma como te apresentavas, toda provocante, os homens olhavam-te famintos. Consumiam-te com os olhos. E sabe-se lá o quê mais eles pensavam a teu respeito.
– Oi baby, tudo bem? – cumprimentou-te humildemente um jovem banhista procurando te conquistar.
Sem reservas, dirigiste-lhe palavra torpe. –– Seu pobretão doentio. Afasta-te de mim!
Baixei os óculos escuros que trazia, e lancei um tímido e disfarçado olhar sobre ti. Atenta que és, captaste logo o meu olhar. Beijaste a palma da mão e simulaste um sopro. – blow! – lançaste o beijo em minha direcção. Logo concluí que eras de facto uma assanhada daquelas bem atrevida. 
 Te ignorei.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

O Governo Não Protegeu As Despesas Nos Sectores Sociais Como Prometera

O Governo prometeu, durante a apresentação do Orçamento do Estado para 2016, que iria salvaguardar as despesas em sectores prioritários, especialmente na Educação e na Saúde. O Governo afirmou que os cortes orçamentais em 2016 não iriam afectar os sectores sociais. Entretanto, o Relatório de Execução de Despesa de 2016 demonstra que o Governo ignorou o objectivo de proteger as camadas mais vulneráveis. Esta falha do Governo em cumprir as suas promessas teve e vai ter ainda consequências negativas directas para a população. Os impactos mais fortes vão afectar os serviços básicos de que depende a população mais vulnerável. Leia na íntegra aqui

sábado, 13 de maio de 2017

Kroll Entrega Relatório das Dívidas Ocultas à PGR (Finalmente)

A Kroll Associates UK, contratada para fazer auditoria às dívidas contraídas pela Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM), ProIndicos, SA, e Mozambique Asset Management, SA (MAM) entregou no fim desta sexta-feira (12 Maio) o relatório da investigação à Procuradoria-Geral da República (PGR). A Kroll que teve um prazo de 90 dias para concluir a auditoria, solicitou o adiamento da entrega do relatório à procuradoria por três vezes. 
Primeiramente, a Kroll pediu um mês adicional para concluir a auditoria alegando complexidade na investigação que "implicou, entre outras medidas, a adopção de certos procedimentos legais, consentâneos com as especificidades inerentes a cada uma das diferentes jurisdições envolvidas, o que resultou na disponibilização tardia de informações adicionais relevantes comprometendo o prazo acordado".
De seguida, a procuradoria informou em comunicado que a Kroll solicitara mais um adiamento fixando uma nova data para a entrega do relatório final, o dia 28 de Abril de 2017. Assim, a empresa de auditoria pedia o alargamento do prazo da entrega do resultado da auditoria às chamadas dívidas ocultas, depois ter falhado em Fevereiro.
Num terceiro adiamento, a Kroll alegou que o relatório necessitava ainda de tradução para a língua oficial do país, português, em cumprimento dos termos de referência, bem como efectuar as devidas correcções. Neste momento, as atenções estão viradas para a PGR e esperasse que os resultados sejam divulgados o mais rápido possível.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Cidadãos Mais Confiantes no Nyusi Que nos Seus Colaboradores

Numa altura em que o país enfrenta dificuldades marcadas pela crise financeira e testemunha o fim das hostilidades militares entre o governo e a Renamo, os cidadãos mostram-se mais otimistas quanto a liderança do Presidente Nyusi e o seu governo, mas reprovam praticamente os governos provinciais. A recente sondagem de opinião apurou que 63.4% dos inquiridos consideram ACEITÁVEL o desempenho do Presidente Nyusi, dos quais 15% acham-no BOM e 7.6% EXCELENTE. Baixe o arquivo.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Lançado Guia do Direito à Informação para Jornalistas

No mês que se celebra o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, 03 de Maio, o Programa Para Fortalecimento da Mídia procedeu o lançamento do Guia do Direito à Informação Para Jornalistas. Neste ano, as comemorações do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa têm como lema "Mentes críticas para momentos críticos: o papel dos media para o desenvolvimento de uma sociedade pacifica, justa e inclusiva". O Guia foi elaborado para facilitar o acesso às fontes de informação. Ele confere uma leitura simples, interpretação e uso da Lei do Direito à informação (Lei nº 34/2014, de 31 de Dezembro) e o respectivo regulamento aprovado pelo Decreto-Lei nº 35/2015, de 31 de Dezembro. A ferramenta ajuda a interacção entre jornalistas e servidores públicos; agrega legislação importante; simplifica os procedimentos para solicitar informação, bem como promove a transparência, a prestação de contas e cidadania. O lançamento aconteceu no Instituto Superior de Comunicação e Imagem de Moçambique (ISCIM) no decorrer de um debate que teve como tema "O papel dos media na promoção da equidade de género". O evento juntou jornalistas, estudantes, representantes de Organizações da Sociedade Civil e outras pessoas interessadas. Descarregue AQUI o Guia do Direito à Informação.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Moçambique Regista Aumento da Prevalência do HIV - Revela o IMASIDA 2015

O Ministério da Saúde através do Instituto Nacional de Saúde divulgou ontem (08 de Maio) os dados do relatório do Inquérito de Indicadores de Imunização, Malária e HIV-SIDA em Moçambique – IMASIDA 2015.

Os dados revelados demonstram que a prevalência entre homens e mulheres com idades entre 15 e 45 anos aumentou de 11.5 por cento em 2009, para 13.2 por cento em 2015. 

O relatório apresentado refere que a taxa do HIV estimada em 2015 é maior nas mulheres (15.4 por cento) em comparação com os homens (10.1 por cento). Em ambos os sexos, a prevalência é maior na zona urbana com 25,5 por cento para as mulheres e 12.3 por cento para os homens do que na área rural (12,6 por cento para mulheres e 8,6 por cento para homens).

A nível territorial, a província de Tete apresenta a taxa mais baixa (5,2%) de prevalência, enquanto a taxa mais alta regista-se em Gaza (24,4). 
Comparando os estudos realizados nos dois anos (2009 e 2015), a prevalência do HIV aumentou em oito das dez províncias, com a excepção de Manica e Tete.

Segundo Francisco Mbofana, Director Nacional de Saúde Pública e investigador principal do estudo, frisou que o aumento na prevalência nacional não é estatisticamente significativo.

sábado, 6 de maio de 2017

Alucinação Amorosa

Foto: Google
Vagueava pela cidade, exposto ao forte sol que quase me derretia como se de um alcatrão eu me tratasse. Fazia muito calor, os termômetros registavam 45 graus Celsius. O que eu mais queria naquele momento era achar um lugar para me assentar, repousar e refugiar-me do escaldante sol.
Decidi, por isso, ir ao jardim Tunduru, localizado na zona baixa da nossa cidade capital. Chegado ali, inspirei o ar puro enquanto uma suave brisa refrescava-me a alma. Ocupei um dos assentos e fui contemplando as lindas flores, morcegos grudados nas árvores, tudo ao som meigo de pássaros que de ramo-a-ramo saltitavam alegremente.
Tirei da pasta um livro que trazia e embalei-me no mundo do espiritismo, feitiçaria, curandeirismo retratado pela Paulina Chiziane enquanto lia "O Sétimo Juramento". Do nada, pousei o livro. Vagarosamente fechei os olhos e uma paz interior invadiu o meu ser.
Mergulhei no subconsciente. Num só instante, vi uma moça linda trajada de branco caminhando estilosamente em minha direcção. Imóvel olhei fixo para cada balançar do seu corpo ondulante e escultural. - Uau! Que linda mulher. - Exclamei admirado face a tamanha beldade.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Informe Anual do Procurador-Geral da República de 2017: Fundos do Estado Continuam a Saque

A Informação Anual do Procurador – Geral da República referente a 2017 peca por ser escassa no que se refere ao estágio da investigação/instrução dos crimes de corrupção com contornos internacionais e ainda, por omitir casos de semelhante índole em que alegadamente estão envolvidos servidores públicos moçambicanos acusados de receber “luvas” para facilitar a obtenção de contratos para as construtoras brasileiras Odebrecht e a Andrade Gutierrez. Outrossim, a informação partilhada não oferece elementos suficientes para uma correcta análise de cariz qualitativo acerca do desempenho do Ministério Público no que tange ao exercício da acção penal, actividade que se enquadra no rol das suas principais competências. Leia o artigo na íntrega AQUI (pdf).

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Estudo Detecta Violações de Ética na Imprensa Escrita em Moçambique

Imagem: Misa - Moçambique
Um estudo produzido pelo Centro de Estudos Interdisciplinares de Comunicações (CEC) e pelo MISA Moçambique, em parceria com o Sindicato Nacional de Jornalista (SNJ), lançado na passada quarta-feira, 19 de Abril, revela que em 2016 registou-se várias violações de ética na imprensa escrita moçambicana, com maior destaque para plágio e ausência de contraditório.

O estudo (disponíveil em: http://www.misa.org.mz/index.php/publicacoes/relatorios/30-analise-de-questoes-eticas-na-imprensa-escrita-em-mocambique) compreendeu a análise de conteúdo de nove jornais de circulação nacional, três diários e seis semanários, na maioria subscritoras do Código de Ética e Deontologia Profissional dos Jornalistas em Moçambique. Ao todo foram detectados 486 artigos que violam a ética nos jornais diários e 280 nos semanários, totalizando 722 casos de violações.

O plágio e a ausência de contraditório foram mais notórios nalguns órgãos de informação moçambicana, nomeadamente os jornais “O País” e o Notícias, respectivamente. Enquanto o jornal “O País” foi considerado o que mais plágio cometeu, o “Notícias” posicionou-se na liderança pela ausência de contraditório nas suas reportagens.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Reflexão sobre a Semana do Dia do Jornalista Moçambicano

Foto: F&Q
Contextualização 
Comemorou-se nesta semana, concretamente no dia 11 de Abril, o Dia do Jornalista Moçambicano. O Sindicato Nacional dos Jornalistas (SNJ) celebra este ano o seu 39º aniversário de existência. O cenário do exercício do jornalismo vem registando crescimento, principalmente se tivermos em conta a proliferação dos órgãos de comunicação que tem tido lugar nos últimos anos. No entanto, a qualidade do jornalismo praticado em Moçambique ainda não é satisfatório. Nota-se ainda a prática de um jornalismo deficitário, no qual se verifica inúmeros casos de informação especulativa, a não obediência do princípio do contraditório, a falta do direito à resposta, entre outras violações das mais básicas regras que regem o jornalismo. 
Ano passado (2016), a Lei de Imprensa (Lei n.º 18/91), legislação que regula o exercício da actividade de imprensa, completou 25 anos após a sua aprovação. Persiste, entretanto, o desafio por parte da classe jornalística de fazer uma rigorosa observância desta lei ordinária; visto que os constantes casos de atropelos da ética e deontologia profissional por parte da classe revelam visivelmente o não cumprimento desta lei.

domingo, 2 de abril de 2017

Google: Blogger Lança Novos Templates

O Google acaba de lançar, para o ano 2017, novos tamplates que vão se adicionar aos anteriores, elevando o número de opções. Esse lançamento certamente que vai responder a uma das exigências que eram feitas ao Blogger, principalmente no que diz respeito à componente "responsividade", visto que as anteriores versões de templates não se ajustavam às versões "mobile".
Os quatro novos templates ora lançados, designadamente, ConTempo (click para visualizar), Soho (click para visualizar), Emporio (click para visualizar) e Notable (click para visualizar) são responsivos, ajustam-se em qualquer tamanho de tela através do qual o blogue seja acedido. 
Penso que os novos templates vão, outrossim, satisfazer aos usuários mais exigentes que não estavam muito à vontade com a aparência dos anteriores templates. Os utilizadores não satisfeitos com os anteriores patrões recorriam a templates diversos disponibilizados gratuitamente em alguns sites e blogues especializados em temáticas do género.

domingo, 26 de março de 2017

Maputo, Cidade do Contraste

Maputo, tens uma memória rica de vivências, de uma miscelânea de choro e alegria, 
Guardas na tua mente lembranças de um passado tenebroso e de pertinaz tristeza,
Como uma semente, desabrochaste do chão, ressurgiste das tuas próprias cinzas e te ergueste,
Te encheste de valentia, te insurgiste contra toda moléstia colonial e lutaste em prol da liberdade,

Hoje estás livre do jugo colonial, não mais testemunharás o derramamento de sangue,
De Vidas inocentes que viste sucumbir, das vozes agonizadas que escutaste em pleno desespero,
Te recuperas do trauma colonial e a todo custo procuras crescer como um jovem ambicioso,
Passam anos, óh Maputo, por que não cresces ao ritmo desejado pelo povo que por ti pereceu?

Cresça Maputo, desenvolva, óh cidade das acácias! 
Por que vives como se ainda estivesses sob o jugo colonial? Por que tanta miséria, dor e angústia?
Tens idade para não mais ser dependente de outrem, tens riqueza para alimentar o teu povo, 
Então cresça, Maputo, largue a corrupção, o crime organizado, a prostituição e tudo quanto te aprisiona.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Concurso "heróis de hoje" de 2017

Retrate uma pessoa que faz a diferença na sua comunidade e habilite-se a ganhar prémios atrativos para as melhores entradas! Publique um texto, vídeo ou fotografias e participe no concurso!
#DWheroisdehoje - concurso de 2017
Para participar no concurso "heróis de hoje" (edição de 2017), tem que publicar um retrato de uma pessoa que faz a diferença na sua comunidade até ao dia 1 de maio de 2017.
Tem três formatos à sua escolha
- um texto (no máximo 5.000 caracteres) com uma fotografia da pessoa retratada
- um vídeo sobre a pessoa retratada (com uma duração máxima de 3 minutos)
- uma série de fotografias da pessoa retratada (12 fotografias no máximo)
É preciso publicar este retrato num blogue, no Facebook, no Instagram ou no Youtube - sempre acompanhado pelo "hashtag" #DWheroisdehoje - e preencher este formulário da DW África (clique no link) para participar no concurso. 
Ao prosseguir e inscrever este conteúdo no concurso "heróis de hoje", concorda em ceder automaticamente à DW - Deutsche Welle os direitos de uso sobre texto, fotos, áudio e vídeos incluídos no material para divulgação do projeto. Declara também que leu o regulamento do concurso.

domingo, 19 de março de 2017

Oração de Sapiência Ano Lectivo 2017, Universidade Politécnica por João Mosca

Foto: DW
Muito obrigado à Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias da Universidade Politécnica, e em especial à Directora Prof.ª Irene Mendes, pelo convite para proceder à aula de sapiência do ano lectivo de 2017. O tema que me foi sugerido é O papel da universidade face à crise económica. Este texto refere-se à universidade no seu conceito amplo, como instituição. Não se faz alguma alusão a casos particulares, excepto quando especificado no texto.

Ao receber o convite e a sugestão do tema, de imediato, surgiu o dilema entre as temporalidades de uma crise conjuntural e de um ensino que deve possuir estabilidade numa perspectiva de longo prazo, considerando que a universidade é uma construção permanente. Infelizmente este dilema pode ser atenuado quando se admite que existem sociedades e economias que vivem em crise de longa duração. Alguns economistas moçambicanos argumentam neste sentido. Isto é, a teoria dos ciclos não possui plena verificabilidade na nossa realidade, pois os períodos de progresso são, regra geral, fictícios. Isto significa que o crescimento que se verificou não era sustentado por uma economia estável, sendo ainda muito vulnerável a choques de diversos tipos (economia e preços internacionais, conflitos, mudanças climáticas, etc.). Os períodos de crise foram os dominantes.

domingo, 12 de março de 2017

O Risco de Ruptura Generalizada de Abastecimento Ainda se Mantém

Em finais de Janeiro deste ano, a cidade de Maputo registou ruptura no abastecimento de combustíveis líquidos, nomeadamente gasolina e gasóleo. Muitos postos de abastecimento encerraram por falta de combustível para vender, enquanto outros postos registavam enormes filas, trazendo à memória dos moçambicanos os anos 90, em que as filas para abastecimento de combustíveis eram intermináveis. 
Mantém-se eminente o risco de ruptura generalizada do abastecimento de combustíveis líquidos no país. Alguns círculos de opinião falam de falta de divisas para as importações mas a indústria fala em falta de meticais para o contravalor em dólares para o pagamento das importações. Tudo considerado, há má governação, no sector, que, entre outros, se manifesta pela reexportação informal de combustíveis subsidiados pelo governo, aos países vizinhos; incumprimento da legislação, falta de diálogo e de adequada informação ao publico.  Baixe AQUI (pdf) o documento completo.

sexta-feira, 10 de março de 2017

O Que Dizer na Semana do Dia Internacional da Mulher?

Foto: Google
Celebrou-se no dia 08 de Março o Dia Internacional da Mulher. Historicamente, a celebração deste dia surge no âmbito das reivindicações das mulheres por melhores condições sociais e políticos, que tiveram início da segunda metade do século XIX. Habitualmente, alusivo ao dia 08 de Março, tem-se realizado no país conferências, reuniões e debates para se discutir questões relacionadas ao papel da mulher na sociedade actual.
O cenário da representatividade da mulher em Moçambique tem sido positivo nos últimos, embora exista certamente muitos desafios para o seu melhor envolvimento em diferentes esferas sociais. Nomes como Luísa Diogo, antiga primeira-ministra, a primeira mulher a chegar neste posto, emerge como uma referência da emancipação da mulher na política. Diogo tem igualmente o mérito de ter sido a única mulher do governo presidido por Joaquim Chissano, após a realização das primeiras eleições gerais, 1994, ganhas pela FRELIMO.

Graça Machel é um dos nomes femininos mais emblemáticos do país. Mamã Graça como é carinhosamente chamada foi Ministra da Educação e Cultura e nutre grande admiração e respeito pelo trabalho desenvolvido em prol da defesa dos direitos da criança. O trabalho desenvolvido pela organização por si fundada – Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) – a maior organização da sociedade civil do país, tem um grande impacto nacional.
Outros nomes como Maria de Lurdes Mutola, no desporto, fizeram com que Moçambique fosse conhecido além fronteiras nos Jogos Olímpicos, entre outras competições. Mutola constitui um grande orgulho moçambicano na esfera desportiva.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Dia Mundial de Zero Discriminação

Todas as pessoas sofrem algum tipo de discriminação durante suas vidas. E no entanto, o princípio de não discriminação é um direito humano. Além disso, países e indivíduos têm obrigação legal de não discriminar. Este ano, no dia 1º de março, Dia Mundial de Zero Discriminação, a ONUSIDA convida todas as pessoas a fazer barulho pela #ZeroDiscriminação, para dar voz e ajudar a prevenir que a discriminação se coloque como um obstáculo em nosso caminho para o alcance de nossas ambições, objectivos e sonhos.

A discriminação tem muitas formas, desde a discriminação racial ou religiosa até aquela relacionada à orientação sexual ou identidade de género, passando pelo bullying na escola ou no trabalho e tantas outras. Em apenas três de cada 10 países no mundo, há igual número de meninas e meninos frequentando o ensino médio. Pessoas com deficiência têm quase três vezes mais probabilidade de terem serviços de saúde negados a elas do que outras pessoas.

“Todas as pessoas têm o direito de serem tratadas com respeito, de viverem sem discriminação, coação e abuso”, disse Michel Sidibé, Director Executivo do UNAIDS. “A discriminação não prejudica só indivíduos, prejudica todos nós, ao passo que acolher e abraçar a diversidade em todas as suas formas beneficia a todos nós.”

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Moçambique Já Conta com Um Programa Feito de Surdos para Surdos

Foto: TV Surdo
TV Surdo é uma plataforma de televisão online voltada a produção e difusão de conteúdos noticiosos com foco para surdos. Fundada em 2008 e oficialmente registada em 2016 com a denominação Associação TV Surdo Moçambique, é composta por 10 membros, todos surdos, dos quais 7 trabalham a tempo inteiro na TV e os restantes 3 são colaboradores não executivos.

Em Moçambique, como em muitos outros países, as Pessoas Com Deficiência, (PCD) são constantemente descriminadas, muitas vezes lhes são vedadas a participação em muitas acções da sociedade, essas acções de exclusão são mais visíveis nas zonas rurais, onde os surdos estão inseridos em maior número.
As acções de exclusão estão associadas ao crescente número de surdos desempregados, sem educação e principalmente sem informação.
A informação, tida como um mecanismo capaz de mudar mentes, elevar o nível de participação de qualquer cidadão é "negada" a comunidade surda moçambicana, pelo simples facto de nenhum canal de comunicação nacional prover informação com recurso a língua de sinais, com excepção da Televisão de Moçambique - TVM, que, pelo menos, passa informação com língua de sinais, no jornal da tarde.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

14 de Fevereiro Foi de Muito Azar P’ra Ela

Foto: Google
Havia muito tempo que a Rossana não me ligava, nem mesmo para saudar. A última vez que ela entrou em contacto comigo foi quando inventou uma estranha estória de que sua carta de condução tinha sido apreendida e necessitava de 5 mil meticais para que a tivesse de volta. Cego que eu era naquele tempo, diga-se, matreco, dei-lhe o valor e a moça prometeu-me devolver logo que fosse possível. Não preciso mais dizer o que aconteceu.
Para o meu espanto, ontem, 14 de Fevereiro, a jovem voltou a contactar-me. Por volta das 17 horas, recebi uma notificação no meu celular. Quando olhei para o cell, vi uma mensagem não lida e curioso, pus-me a espreitar o conteúdo.
- Oi baby, tudo bem! - Lia-se na mensagem.
Fiquei curioso, pois não tinha aquele número registado no cell. Decidi dar, por isso, uma olhada no perfil para ver se reconhecia a pessoa que me enviara a mensagem. Senti-me como se estivesse diante de um espelho, pois doutro lado via a minha própria imagem.
Tentei adivinhar de quem se tratava aquele número. 
- Estranho, alguém está usando a minha foto em seu perfil. - Balbuciei, procurando alguma explicação para o que eu via. Cada vez mais ficava confuso quando olhava para aquela foto na qual eu aparecia de terno e gravata, num ambiente executivo e profissional. Modesta à parte, eu estava elegante naquele retrato, o que me tem caracterizado, sem exagero.
Decidi ligar para o número. Doutro lado da linha, uma voz meiga atendeu-me afavelmente. Reconheci num só instante aquela angelical voz que repentinamente me trouxe recordações de um amor nunca correspondido. O meu coração bateu forte, tive alucinações - contemplei com visão turva: anjo, flecha, coração... 

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Governo Promove a Produção de "Tseke" e o Assunto Viraliza Nas Redes Sociais.

Na terça-feira (07 de Fevereiro), o Conselho de Ministros de Moçambique analisou a proposta de produção do amaranthus, nome científico de uma planta comestível, amplamente conhecida como "Tseke", na região sul do país. Segundo o executivo, trata-se de uma planta que apresenta alto teor nutricional e de fácil cultivo. "Tseke" que era até tão pouco tempo um vegetal praticamente ignorado, popularizou-se após a declaração feita pelo vice-ministro da saúde, Mouzinho Saíde, na qualidade de porta-voz do governo, ao afirmar que, já foram produzidas sementes em quantidade para a comercialização.
"Tseke", uma planta que germina de forma espontânea, de folhas pequenas, leves e verdes, hoje constitui alternativa do executivo para se fazer face ao actual momento delicado que o país atravessa. Mas por quê amaranthus, ou melhor "tseke"? Há quem alega não fazer sentido a declaração do governo segundo a qual já existem sementes em quantidades para comercialização, pois a planta germina em qualquer terreno, incluindo em lugares e não precisa por isso de alguma intervenção especial para o efeito.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Importação de Combustíveis Líquidos: Quadro Institucional, Processos, Riscos, Perspectivas

A garantia da importação de combustíveis em quantidade suficiente e qualidade desejável, assim como a preços competitivos constitui um factor de importância estratégica para a vida económica e social do país. Contudo, há evidências de que a importação de combustíveis é susceptível a práticas de corrupção e de má gestão em momentos-chave do ciclo de importação que produzem custos adicionais à economia já fragilizada.

O Centro de Integridade Pública (CIP) realizou estudo que faz diagnóstico da gestão da importação de combustíveis líquidos em Moçambique, no contexto actual da crise económica, política, financeira e de reputação que o país enfrenta. Veja AQUI o relatório na íntegra.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Lobolo:Tradição ou Negócio?

Foto: The Villager
A partir de uma conversa com amigos, decidi escrever sobre "lobolo". "Lobolo" ou "lovolo" é o termo usado para designar o casamento tradicional praticado, particularmente na região sul de Moçambique, o qual consiste na oferta de um dote por parte do homem à família da mulher a quem se pretende "lobolar". O lobolo é uma prática bastante respeitada na cultura moçambicana, representando a estima e a dignidade da mulher. Este acto chega a ser visto como sendo o mais relevante para a união de um casal sob o ponto de vista social, existindo portanto famílias que dão ao lobolo um prestígio maior que o do casamento civil ou religioso. 
Alega-se que o dote entregue à família representa uma forma de agradecimento pelos cuidados e instrução dada à mulher lobolada, mas também é uma forma de compensar a ausência da filha que estará de mudança para a casa do marido (virilocalidade). Relatos indicam que, inicialmente, o dote oferecido era algo simples e modesto. Com andar de tempo, o dote foi ganhando um valor acrescido e cada vez mais exigente como, por exemplo, a oferta de cabeças de gado. O lobolo continua sendo praticado e constitui uma das principais características das sociedades patrilineares tal como no passado; e detém ainda o mesmo reconhecimento e estima.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Moçambique em "Derrapagem Histórica" no Índice de Corrupção

Moçambique desceu 30 posições no Índice de Percepção da Corrupção da Transparência Internacional. Dos PALOP, a Guiné-Bissau é o pior classificado e Cabo Verde o melhor. STP subiu 20 posições. Angola desceu um lugar. 
Neste índice anual sobre a percepção da corrupção no mundo, feito pela organização não-governamental alemã Transparência Internacional, os países escandinavos continuam a ser os melhores qualificados: a Dinamarca está novamente em primeiro lugar, em segundo a Nova Zelândia (que não é escandinavo), em terceiro a Finlândia e em quarto a Suécia.

Também em último lugar no ranking, na posição 176, está o país do costume: a Somália. E antes dele o Sudão do Sul e a Coreia do Norte.

Moçambique: dívidas ocultas na origem da queda
No que diz respeito aos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Moçambique registou uma derrapagem nunca antes vivida nesta avaliação. Em 2015 ocupou o lugar 112 e, em 2016, o 142. Para o Centro de Integridade Pública (CIP), ONG vocacionada para a transparência na administração pública e antena da transparência internacional no país, as razões são sobejamente conhecidas.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Jornalistas Treinados em Matéria sobre Transplante e Doação de Órgãos Humanos

Foto: F&Q
O Ministério da Saúde (MISAU) organizou no dia 17 de Janeiro, em Maputo, o workshop sobre Media, Transplante e Doação de Órgãos Humanos que contou com a participação de jornalistas e oficiais de comunicação de instituições públicas e privadas cujo objectivo era capacitá-los em matéria de transplante e doação de órgãos humanos. Entre outras temáticas, discutiu-se no evento aspectos relacionados ao Transplante, Doação e Tráfico de Órgãos Humanos. 
Neste momento, Moçambique aguarda a aprovação da Lei de Transplante e Doação de Órgãos Humanos submetida à Assembleia da República, de forma que se inicie com a técnica de transplante e doação de órgãos humanos. Segundo Américo Assan, assessor da Ministra da Saúde para Área de Assistência Médica, o país vai realizar, numa primeira fase, os transplantes de rim e de córnea.
No que diz respeito à consciencialização sobre a importância da doação de órgãos, Américo Assan referiu que o MISAU tem como parceiro os líderes religiosos, médicos tradicionais e jornalistas dos órgãos de comunicação social, tendo igualmente enfatizado que estes últimos jogam um papel relevante para o esclarecimento de eventuais dúvidas e como comunicar as populações/audiência sobre esta temática que por vezes é mal compreendida e confundida com tráfico de órgãos.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Por Que Se Escolhe Esse Curso e Não Aquele?

Foto: Google
Quando o ano inicia, a azáfama habitual de se inscrever ao ensino superior toma conta dos jovens. Afinal, frequentar a universidade é sonho de a maior parte dos mancebos. Este ano, a Universidade Eduardo Mondlane (UEM) anunciou ter disponível mais de cinco mil vagas para um número de candidatos avassalador, são no todo mais de 21 mil concorrentes. Dentre os cursos mais concorridos, destacam-se como de praxe nos últimos anos, a Medicina, Direito, Contabilidade e Finanças, Administração Pública e Economia.  
A escolha do curso não é um exercício simples como, a priori, pode parecer. Isso porque o curso que decidimos seguir pode nalgum momento definir com que futuramente estaremos trabalhando. Mas também, tal formação pode ditar o nosso sucesso ou fracasso. No momento da escolha da formação, surgem-nos dúvidas, certezas e não poucas vezes opiniões de terceiros procurando ajudar sobre qual formação nos pode ser benéfica. Existem aqueles que optam por fazer testes vocacionais a fim de testarem, através das suas afeições e pré-disposição, que curso estariam melhor capacitados em seguir ou se enquadram nos seus perfis. Há quem desde muito cedo já tenha certeza do que pretende ser e se candidata ao curso com o qual vem sonhando.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Discurso de Despedida de Barack Obama

Foto: Kamil Krzaczynski/EPA/Lusa
Confira abaixo a tradução feita pela Folha de Pernambuco da transcrição não editada do discurso preparado pelo Presidente Obama para sua despedida em Chicago, conforme fornecido pela Casa Branca. Veja AQUI o vídeo completo.

É bom estar em casa. Meus compatriotas, Michelle e eu ficamos emocionados com todos os desejos que recebemos nas últimas semanas. Mas hoje à noite é minha vez de dizer obrigado. Mesmo que raramente tenhamos nos visto olho-a-olho, minhas conversas com você, o povo americano - em salas de estar e escolas; Nas fazendas e nos pisos da fábrica; Em jantares em postos avançados - são o que me mantiveram honesto, mantiveram-me inspirado, e me fizeram seguir em frente. Todos os dias, eu aprendi com você. Você me fez um melhor presidente, e você me fez um homem melhor.

Eu vim para Chicago quando eu tinha uns 20 anos, ainda tentando descobrir quem eu era; Ainda procurando um propósito para a minha vida. Foi em um bairro não muito longe daqui que comecei a trabalhar com grupos de igrejas nas sombras de moinhos de aço fechados. Foi nessas ruas que testemunhei o poder da fé e a dignidade tranquila dos trabalhadores diante das lutas e das perdas. Aqui é onde eu aprendi que a mudança acontece somente quando as pessoas comuns se envolvem, começam juntos, e vêm juntos exigi-la.