domingo, 26 de março de 2017

Maputo, Cidade do Contraste

Maputo, tens uma memória rica de vivências, de uma miscelânea de choro e alegria, 
Guardas na tua mente lembranças de um passado tenebroso e de pertinaz tristeza,
Como uma semente, desabrochaste do chão, ressurgiste das tuas próprias cinzas e te ergueste,
Te encheste de valentia, te insurgiste contra toda moléstia colonial e lutaste em prol da liberdade,

Hoje estás livre do jugo colonial, não mais testemunharás o derramamento de sangue,
De Vidas inocentes que viste sucumbir, das vozes agonizadas que escutaste em pleno desespero,
Te recuperas do trauma colonial e a todo custo procuras crescer como um jovem ambicioso,
Passam anos, óh Maputo, por que não cresces ao ritmo desejado pelo povo que por ti pereceu?

Cresça Maputo, desenvolva, óh cidade das acácias! 
Por que vives como se ainda estivesses sob o jugo colonial? Por que tanta miséria, dor e angústia?
Tens idade para não mais ser dependente de outrem, tens riqueza para alimentar o teu povo, 
Então cresça, Maputo, largue a corrupção, o crime organizado, a prostituição e tudo quanto te aprisiona.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Concurso "heróis de hoje" de 2017

Retrate uma pessoa que faz a diferença na sua comunidade e habilite-se a ganhar prémios atrativos para as melhores entradas! Publique um texto, vídeo ou fotografias e participe no concurso!
#DWheroisdehoje - concurso de 2017
Para participar no concurso "heróis de hoje" (edição de 2017), tem que publicar um retrato de uma pessoa que faz a diferença na sua comunidade até ao dia 1 de maio de 2017.
Tem três formatos à sua escolha
- um texto (no máximo 5.000 caracteres) com uma fotografia da pessoa retratada
- um vídeo sobre a pessoa retratada (com uma duração máxima de 3 minutos)
- uma série de fotografias da pessoa retratada (12 fotografias no máximo)
É preciso publicar este retrato num blogue, no Facebook, no Instagram ou no Youtube - sempre acompanhado pelo "hashtag" #DWheroisdehoje - e preencher este formulário da DW África (clique no link) para participar no concurso. 
Ao prosseguir e inscrever este conteúdo no concurso "heróis de hoje", concorda em ceder automaticamente à DW - Deutsche Welle os direitos de uso sobre texto, fotos, áudio e vídeos incluídos no material para divulgação do projeto. Declara também que leu o regulamento do concurso.

domingo, 19 de março de 2017

Oração de Sapiência Ano Lectivo 2017, Universidade Politécnica por João Mosca

Foto: DW
Muito obrigado à Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias da Universidade Politécnica, e em especial à Directora Prof.ª Irene Mendes, pelo convite para proceder à aula de sapiência do ano lectivo de 2017. O tema que me foi sugerido é O papel da universidade face à crise económica. Este texto refere-se à universidade no seu conceito amplo, como instituição. Não se faz alguma alusão a casos particulares, excepto quando especificado no texto.

Ao receber o convite e a sugestão do tema, de imediato, surgiu o dilema entre as temporalidades de uma crise conjuntural e de um ensino que deve possuir estabilidade numa perspectiva de longo prazo, considerando que a universidade é uma construção permanente. Infelizmente este dilema pode ser atenuado quando se admite que existem sociedades e economias que vivem em crise de longa duração. Alguns economistas moçambicanos argumentam neste sentido. Isto é, a teoria dos ciclos não possui plena verificabilidade na nossa realidade, pois os períodos de progresso são, regra geral, fictícios. Isto significa que o crescimento que se verificou não era sustentado por uma economia estável, sendo ainda muito vulnerável a choques de diversos tipos (economia e preços internacionais, conflitos, mudanças climáticas, etc.). Os períodos de crise foram os dominantes.

domingo, 12 de março de 2017

O Risco de Ruptura Generalizada de Abastecimento Ainda se Mantém

Em finais de Janeiro deste ano, a cidade de Maputo registou ruptura no abastecimento de combustíveis líquidos, nomeadamente gasolina e gasóleo. Muitos postos de abastecimento encerraram por falta de combustível para vender, enquanto outros postos registavam enormes filas, trazendo à memória dos moçambicanos os anos 90, em que as filas para abastecimento de combustíveis eram intermináveis. 
Mantém-se eminente o risco de ruptura generalizada do abastecimento de combustíveis líquidos no país. Alguns círculos de opinião falam de falta de divisas para as importações mas a indústria fala em falta de meticais para o contravalor em dólares para o pagamento das importações. Tudo considerado, há má governação, no sector, que, entre outros, se manifesta pela reexportação informal de combustíveis subsidiados pelo governo, aos países vizinhos; incumprimento da legislação, falta de diálogo e de adequada informação ao publico.  Baixe AQUI (pdf) o documento completo.

sexta-feira, 10 de março de 2017

O Que Dizer na Semana do Dia Internacional da Mulher?

Foto: Google
Celebrou-se no dia 08 de Março o Dia Internacional da Mulher. Historicamente, a celebração deste dia surge no âmbito das reivindicações das mulheres por melhores condições sociais e políticos, que tiveram início da segunda metade do século XIX. Habitualmente, alusivo ao dia 08 de Março, tem-se realizado no país conferências, reuniões e debates para se discutir questões relacionadas ao papel da mulher na sociedade actual.
O cenário da representatividade da mulher em Moçambique tem sido positivo nos últimos, embora exista certamente muitos desafios para o seu melhor envolvimento em diferentes esferas sociais. Nomes como Luísa Diogo, antiga primeira-ministra, a primeira mulher a chegar neste posto, emerge como uma referência da emancipação da mulher na política. Diogo tem igualmente o mérito de ter sido a única mulher do governo presidido por Joaquim Chissano, após a realização das primeiras eleições gerais, 1994, ganhas pela FRELIMO.

Graça Machel é um dos nomes femininos mais emblemáticos do país. Mamã Graça como é carinhosamente chamada foi Ministra da Educação e Cultura e nutre grande admiração e respeito pelo trabalho desenvolvido em prol da defesa dos direitos da criança. O trabalho desenvolvido pela organização por si fundada – Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) – a maior organização da sociedade civil do país, tem um grande impacto nacional.
Outros nomes como Maria de Lurdes Mutola, no desporto, fizeram com que Moçambique fosse conhecido além fronteiras nos Jogos Olímpicos, entre outras competições. Mutola constitui um grande orgulho moçambicano na esfera desportiva.